principal
   artigos
   technik
   encontros
   eventos
   propagandas
   loja virtual
   fórum
   contato
   equipe
   parcerias



 

 


vai para a página inicial da volkspage
 
 

Volkswagen Golf GT 1.4 TSI 170 cv

Edição: Ignacio Montanha
Imagem de Topo: Arved Kloumberg
Imagens: Revista AutoCar e Divulgação VW

Data: 12 de Julho de 2006

 

A Volkswagen com o Golf V GT 1.4 TSI 170 cv disponibiliza ao consumidor europeu, uma tecnologia inovadora, nova caracterização e equipamento esportivo, dando origem a um modelo muito especial, preenchendo uma importante lacuna até agora existente na linha Golf (Quinta Geração), posicionando-se entre as versões Sport e GTI.

Não é apenas debaixo do capô que o Golf GT é especial, a estética também demarca a personalidade desta nova versão. As entradas de ar integradas no pára-choques dianteiro são mais discretas que no GTI, assim foi possível manter distinção entre o Golf “convencional”, o GTI e o R32. Nas suspensões, é 15 mm mais baixo que a versão normal e faz a sua ligação ao solo através de rodas BBS de 17 polegadas.

 

Motor 1.4 TwinCharger de 170cv

O motor 1.4 TSI é o primeiro propulsor com injeção direta de gasolina com dupla sobrealimentação, tecnicamente designado TSI. Trata-se de uma motorização de 1,4 litros, com injeção direta, capaz de desenvolver 170 cv de potência máxima e um torque máximo de 24.5 kgmf entre 1750 a 4500 rpm. Estes elevados valores são possíveis graças à dupla sobrealimentação, que combina um turbocompressor acionado pelos gases de escape com um compressor volumétrico acionado mecanicamente. O motor EA111 de 1,4 litros desenvolve uma potência específica de 121 cv/litro, o que representa um valor de referência para um motor quatro cilindros em produção.

 

Em termos de alimentação de combustível, foi utilizada a injeção direta de combustível, utilizada atualmente pela Volkswagen em vários modelos de diversos segmentos. A experiência acumulada durante os últimos anos pelos engenheiros de motores no que respeita a esta tecnologia, revelou que o sistema FSI pode ser combinado de forma ideal com dois tipos diferentes de sobrealimentação, o resultado consiste num incremento de rendimento sem precedentes.

A resposta mais rápida do turbo permite que o compressor seja despressurizado mais cedo graças ao funcionamento contínuo da válvula “bypass”. Isto significa que a função do compressor está limitada a um periodo de rotação pré-determinado, onde predominam baixas relações de pressão, o que se traduz em um baixo consumo de combustível. Conseqüentemente, as desvantagens do compressor mecânico em termos de consumos acabam por ser bastante limitadas.

Na prática, isto significa que o compressor apenas é chamado ao serviço para gerar o necessário aumento de pressão (“boost”) a partir de 2400 ou 3500 rpm dependendo da forma de condução. O turbo foi desenhado para obter uma eficácia otimizada nas altas rotações e fornece um aumento de pressão adequado nos regimes médios. A forma como estes dois sistemas se complementam um ao outro significa que praticamente não existe inércia do turbo ("turbo lag"). Acima das 3500 rpm, não mais do que isto, o compressor deixa de ser necessário, passando a ser o turbo a fornecer o aumento da pressão, mesmo quando a condução passa de um ritmo de passeio para a aceleração total, com o motor em carga máxima.

 

As características de suavidade do torque permitem que o condutor deixe de estar constantemente realizando reduções de marcha durante uma condução mais empenhada, graças à curva de torque favorável em baixas rotações; a rotação de corte de injeção fica em 7300 rpm e graças às suas excelentes performances, a condução transforma-se num ato de puro prazer. O tempo da retomada de 80 a 120 km/h em quinta marcha é de apenas 8,0 segundos !!!

Transmissão - Seis marchas manual ou DSG

O Golf GT 1.4 TSI 170 cv está equipado com o câmbio de 6 marchas de acionamento manual ou automático. De série, está disponível o cambio manual, entretanto é possível optar pelo eficaz cambio automático/seqüencial de embreagem dupla (DSG), esta transmissão permite obter o melhor de dois mundos, pois combina o conforto de uma transmissão automática com o desempenho esportivo e maior economia, em relação ao manual. As trocas de marchas são extremamente suaves e rápidas, praticamente sem quaisquer perdas de motricidade. A transmissão DSG possui também um modo de funcionamento manual seqüencial, através da seleção da função “+/-“ no comando do câmbio ou nas boborletas localizadas atrás do volante.

Para suavizar a resposta do motor em condições de baixa aderência, existe um programa de inverno como nos câmbios automáticos, mas neste caso a ação se realiza modificando programação do motor para fornecer menor potência e torque até a terceira marcha, esse item é disponível inclusive com o câmbio manual de série.

Equipamento - Esportividade e discrição

 

Externamente, o Golf GT é facilmente reconhecido através das modificações realizadas na dianteira, alguns pequenos detalhes estéticos, como os logotipos “GT” na dianteira e na traseira, as rodas de liga leve BBS e a dupla saída de escape, que ajudam a marcar a diferença de forma limpa e discreta.

 

Dotado de características dinâmicas aprimoradas, conta com uma suspensão rebaixada em 15 mm e rodas de 17 polegadas modelo “BBSClassix” com pneus 225/45 R17", opcionalmente dispõe de rodas aro 18" e pneus 225/40 R18". Os de discos e freio dianteiros com 16" (os mesmos utilizados pelo Golf GTI) asseguram ao Golf GT uma elevada capacidade de frenagem, além de uma alta resistência ao "fading" (fadiga causada pelo superaquecimento dos freios), garantido um excelente nível de segurança.

 

No interior, o GT apresenta-se, com bancos esportivos revestidos no padrão “brick”, volante de três raios com logotipo “GT” e indicador da pressão de sobrealimentação (TSI), que infelizmente em sua escala não mostram os valores de pressão .

Desta forma a Volkswagen inova com o motor TSi e garante à linha GT que sempre compartilhou uma motorização semelhante, senão idêntica aos modelos normais da linha, uma personalidade esportiva nunca antes dada à sigla "Gran Turismo", tornando-o visualmente diferenciado do restante, garantindo assim maior apelo e um alto desempenho, conciliando o que seria impraticável alguns anos atras, pelos baixos valores de consumo e emissões de poluentes.

 

Equipamento de série

Exterior
- Frente individualizada (grelha do radiador e pára-choques);
- Dupla ponteira de escape;
- Rodas de liga leve “BBSClassiXs” 7" J x 17" e pneus 225/45 R17";
- Suspensão esportiva rebaixada em 15 mm;
- Discos dianteiros ventilados de 16 polegadas;
- Espelhos retrovisores exteriores, frisos de proteção laterais e puxadores das portas na cor da carroceria;

Interior
- Volante esportivo multifunções de três raios em couro com logotipo “GT”;
- Manopla de câmbio e alavanca do freio-de-mão em couro;
- Bancos dianteiros esportivos com revestimentos exclusivos “brick”;
- Inserções decorativas “black onyx” no painel, console central e portas;
- Apoio de braços dianteiro;

Segurança
- ESP (Controle Eletrônico de Estabilidade).

Operacionais
- Indicador da pressão de sobrealimentação (TSI);
- Computador de bordo;
- Ar Condicionado “Climatic”;
- Comando para seleção do programa de condução em superfícies escorregadias;
- Faróis de neblina;
- Rádio com CD.

Preço: 27.000 euros (aproximadamente R$74.000).

 



© 1997-2021 - Todos os direitos reservados